Sunday, January 29, 2006

Encontro


Quero alguém que goste de poesia
Beije-me como a uma vadia
Chame-me de santa
Mova minhas ancas num ritmo frenético
Singular e até patético
Profusão de pernas, bocas e abraços
Quadro de Picasso

Quero alguém que aprecie ouvir
Som de chuva no telhado
Saiba sorrir meios sorrisos
Bocas inteiras
Corpos molhados
Banhados na lua cheia
Um no outro entrelaçados

Quero alguém que me diga não
Ou sim se for adequado
Que eu chame de paspalhão
Jumento, besta, quadrado
Não tema os meus caprichos
Aceite correr os riscos
Seja um bocado moderno
E um tantinho antiquado

Quero alguém imaginário
Um ideal libertário
Nem eu mesma sei se existe
Touro, leão, sargitário
Capricórnio, libra, aquário
Áries, virgem, escorpião
Água, terra, ar, vulcão
Alguém que enfim me conquiste

7 comments:

onire said...

uma palavra!!! FRICCION!!! flws o/

Dandara said...

hehe, toda pensadora!
eu gostei dos textos..
;**

Huguinho said...

Falta um toque geminiano nesse encontro.
Mas eu gostei assim mesmo!
Bjitos!

Denis said...

Pára de me descrever, menina! Que coisa...

eu invertida said...

Huguinho amore, é um rol exemplificativo, não taxativo ok?

Tá bom Denis, percebe-se que o Sr. não é de proveta... hauahauahauahaua

Jair Francelino said...

Wal, esse poema é bem interessante e coincidentemente parece-se o outro lado da moeda de "O poema e eu", que consta do meu livro. Compare-os e veja se o "eu" descrito lá não é bem próximo do "você" descrito no seu poema...

Jair Francelino said...

E eu nem tinha visto o post do Denis... Esse sou eu, Denis! confira!


" Eu quero um poema singelo
e ao mesmo tempo complexo,
que fale do amor casto e puro
e das volúpias do sexo;
que seja assaz expressivo,
mas não tenha muito nexo...
que seja assim como eu sou,
que seja o meu reflexo!
...........................

Eu quero um poema inocente,
que expresse candura e malícia,
que seja um pouco indecente,
que fale de dor e delícia;
que fale muito de gente,
que mostre um pouco da vida
de um ser inconsistente
que espera, crê e duvida!"